7 de outubro de 2016

JEREMIAS 32.40 ENSINA QUE UM SALVO NUNCA COMETERÁ APOSTASIA?


por Everton Edvaldo


Texto bíblico: "E farei com eles uma aliança eterna de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor nos seus corações, para que nunca se apartem de mim." (Jeremias 32:40).

Introdução: Os defensores da perseverança dos santos calvinista usam com bastante frequência o texto de Jeremias 32.40 para validar a ideia de que um verdadeiro crente nunca apostatará da fé. Ou seja, segundo eles, uma vez que alguém foi atingido pela graça eficaz de Deus, essa pessoa perseverará até o fim, pois, nenhum daqueles que foi regenerado por Deus cometerá apostasia nem se perderá eternamente. De acordo com alguns, a promessa desse texto se aplica à Igreja irrestritamente e se cumpre dentro da Nova Aliança nos Eleitos. Porém, será que o texto fala realmente isso? É o que pretendo abordar nesse artigo. Nele, irei mostrar os equívocos cometidos por alguns cristãos na hora de utilizar essa passagem; veremos também o que Deus está falando e para quem a mensagem se dirige. Por fim, entenderemos o que podemos extrair como lição pessoal a partir desse texto. Boa leitura!

I- UM ERRO DE INTERPRETAÇÃO.

Nada do que está escrito na Bíblia Sagrada foi escrito sem propósito ou destinatário. Cada mensagem divina tem um conteúdo e um público alvo. Esse público alvo pode ser uma pessoa, várias pessoas, um povo, um país ou até mesmo o mundo inteiro. Muitas dessas mensagens contém promessas específicas que não podem ser distorcidas ou terem seu destinatário alterado. Isto é, não podemos forçar o texto a dizer aquilo que não diz ou o que queremos. Partindo desse princípio, cabe a nós o papel de descobrir qual o conteúdo da passagem bíblica e a quem ela está se referindo. Algumas vezes, será fácil identificar o destinatário, outras, será preciso analisar todo o contexto. No caso de Jeremias 32.40, não é honesto explanar a passagem sob lentes formuladas por sistemas teológicos.

Esse é um dos primeiros erros cometidos por aqueles que usam essa passagem para defender a "perseverança dos santos calvinista." Algumas dessas pessoas, nem se quer leram o contexto e ao isolarem determinados versículos saem afirmando coisas sem sentido. É comum encontrar nos debates das redes sociais, pessoas usando Jeremias 32.40 para afirmar que "um salvo nunca irá se apartar de Deus" logo, "uma vez salvo, salvo para sempre."

Podemos afirmar que essa conclusão está realmente pautada na Palavra de Deus? Certamente não! Vejamos o porque é um equívoco interpretar a passagem dessa forma.

Primeiro, o texto em foco não está tratando de eleição, perda da salvação, muito menos da perseverança dos santos. Alguns calvinistas creem que o texto esteja abordando toda essa questão, mas isso não é verdade. A realidade é que esse texto não tem nada ver com a doutrina da perseverança dos santos. Nele, Deus está tratando da restauração nacional, moral e espiritual do povo de Israel. Ou seja, o primeiro erro cometido pelos calvinistas está em impor um assunto que não é tratado por Deus na passagem.

Segundo, o texto não está se referindo aos eleitos por Deus para a salvação, mas sim ao povo de Israel. Ou seja, no versículo 40, Deus não está falando sobre os eleitos, mas especificamente à nação de Israel. Todas as promessas feitas nesse capítulo são para Israel. Isso fica óbvio quando analisamos todo o contexto da passagem e não apenas um versículo isolado.

A pergunta que se faz é: alguém que foi salvo por Deus pode se afastar dele, retroceder na fé ou cair da graça? Embora a pergunta seja honesta, a resposta dada pelos calvinistas não tem sido sólida. Não podemos cometer a errônea prática de isolar versículos para apoiar determinada corrente de pensamento. Sendo assim, o segundo erro cometido pelos calvinistas está em confundir a nação de Israel com os salvos em Cristo Jesus.

II- O QUE DEUS ESTÁ FALANDO NA PASSAGEM E PARA QUEM ELA É DIRECIONADA?

Muitos teólogos tem mania de alegorizar passagens bíblicas aponto de desfocar o destinatário original da passagem. Outros, tem o costume de selecionar promessas específicas feitas a Israel (muitas das quais nem se cumpriram ainda), e direcioná-las à Igreja. Ou seja, equivocadamente concluem que a igreja substituiu Israel, logo, toda promessa feita a este povo, tem seu cumprimento na igreja. Ora, as Escrituras não nos dá base para tal pensamento.

Já vimos que Deus está tratando de Israel em Jeremias 32.40 e não da igreja. Vamos agora analisar o contexto da passagem para depois prosseguirmos com a explanação:

"E por isso agora assim diz o Senhor, o Deus de Israel, acerca desta cidade, da qual vós dizeis: Já está dada na mão do rei de Babilônia, pela espada, e pela fome, e pela peste: Eis que eu os congregarei de todos os países para onde os tenho lançado na minha ira, e no meu furor e na minha grande indignação; e os tornarei a trazer a este lugar, e farei que habitem nele seguramente. E eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. E lhes darei um só coração, e um só caminho, para que me temam para sempre, para seu bem e o bem de seus filhos, depois deles; e farei com eles um pacto eterno de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor no seu coração, para que nunca se apartem de mim. E alegrar-me-ei por causa deles, fazendo-lhes o bem; e os plantarei nesta terra, com toda a fidelidade do meu coração e da minha alma." (Jeremias 32. 36-41).

Como podemos ver, o contexto deixa claro para quem é a mensagem: Israel. Substituir Israel pela Igreja nesses versículos, além de ser uma distorção da passagem, traz algumas implicações para essa interpretação. Por exemplo, se entendemos que aqui Deus esteja falando sobre a igreja, chegaremos à conclusão de que os salvos serão plantados e congregados por Deus na Jerusalém terrestre e que habitarão nela seguramente. Ora, isso é um absurdo!

Existem algumas promessas feitas por Deus nesse capítulo. Vejamos o que Deus está realmente falando!

1- Deus promete congregar Israel de todas as terras para onde os lançou em sua ira. Jeremias usa o termo hebraico qābhas, raiz primitiva que significa: "pegar", isto é, coletar, recolher, ajuntar. Ele os fará voltar e fará com que habitem seguramente (v. 37). Isso também está revelado em outras passagens do livro de Jeremias como por exemplo:

"Pois eis que vêm os dias, diz o Senhor, em que farei voltar do cativeiro o meu povo Israel e Judá, diz o Senhor; e tornarei a trazê-los à terra que dei a seus pais, e a possuirão." (Jeremias 30.3).

"Não temas pois tu, servo meu, Jacó, diz o Senhor, nem te espantes, ó Israel; pois eis que te livrarei de terras longínquas, e à tua descendência da terra do seu cativeiro; e Jacó voltará, e ficará tranqüilo e sossegado, e não haverá quem o atemorize." (Jeremias 30.10).

"Pois te restaurarei a saúde e te sararei as feridas, diz o Senhor... Assim diz o Senhor: Eis que acabarei o cativeiro das tendas de Jacó, e apiedarme-ei das suas moradas; e a cidade será reedificada sobre o seu montão, e o palácio permanecerá como habitualmente. (Jeremias 30. 17,18).

"Eis que os trarei da terra do norte e os congregarei das extremidades da terra; e com eles os cegos e aleijados, as mulheres grávidas e as de parto juntamente; em grande companhia voltarão para cá. Virão com choro, e com súplicas os levarei; guiá-los-ei aos ribeiros de águas, por caminho direito em que não tropeçarão; porque sou um pai para Israel, e Efraim é o meu primogênito. Ouvi a palavra do Senhor, ó nações, e anunciai-a nas longínquas terras marítimas, e dizei: Aquele que espalhou a Israel o congregará e o guardará, como o pastor ao seu rebanho." (Jeremias 31. 8-10).

Sobre sua segurança, Deus diz: "...Esta Jerusalém jamais será desgarrada ou destruída." (Jeremias 31. 40). Veja também Jeremias 23.3-8.

2. Deus revela e promete que eles serão o seu povo, e ele seria o seu Deus. Não só em Jeremias 32.38 mas também em outros lugares como:

"Vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus." (Jeremias 30.22). 

"Naquele tempo, diz o SENHOR, serei o Deus de todas as tribos de Israel, e elas serão o meu povo." (Jeremias 31.1).

"...eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo." (Jeremias 31.33).

3. Deus também promete que lhes daria um só coração e um só caminho, para que temam todos os dias, para seu bem e bem de seus filhos (v. 39). Veja também Jeremias 31.9.

4. Chegamos finalmente no versículo que estamos estudando. Em Jeremias 32.40, encontramos a coroa da promessa em relação à restauração de Israel. Primeiramente, Deus diz que fará com eles uma aliança eterna, segundo a qual não deixará de lhes fazer o bem. Que aliança é essa que Deus está falando? Bem, o SENHOR revela que é uma nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá, não conforme a aliança que fez com seus pais a qual foi anulada (Jeremias 31.31-32). Deus explica como se daria essa aliança: "Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei, eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até o maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais me lembrarei." (Jeremias 31. 33, 34). Em Jeremias 32.40, Deus promete que esta aliança será eterna (Em hb: ôlām, substantivo masculino que significa um tempo muito longo).
Deus também diz que porá o Seu temor no coração deles para que nunca se apartem Dele. Jeremias usa o termo sûr que significa: partir, deixar de lado, rebelar, revoltar, virar-se, das as costas, retirar-se, afastar-se, ir embora, partir, etc. Ou seja, após esse processo, Israel não se afastaria mais de Deus, como vinha fazendo repetidamente. Com isso, ele ficaria alegre por causa deles e lhes faria o bem, firmando-os naquela terra, de todo o coração de toda a alma.

5. Por fim, Deus conclui prometendo plantá-los na terra. Esta promessa está em conexão com Jeremias 31.6 e com Jeremias 31.27. Verifique!

III- QUAIS LIÇÕES PODEMOS EXTRAIR A PARTIR DESSA PASSAGEM?

Certamente, Jeremias 32.40 tem muita coisa a nos ensinar. Podemos extrair algumas lições a partir desse texto. Vale salientar que essas lições devem estar dentro do tema abordado por Jeremias. Vejamos aqui algumas delas:

1. Deus é aquele que tem poder para restaurar o nosso estado e restabelecer a nossa vida. Logo, podemos confiar nas suas promessas e esperar o seu agir.

2. Somos propriedade Dele e Ele é o nosso Deus. Sendo assim, é de se esperar que estejamos seguros em sua presença.

3. É do desejo de Deus que o temamos e que nunca nos apartemos Dele. Ele nos fornecerá tudo quando for necessário para permanecer em seus caminhos, embora alguns negligenciem deliberadamente essas bênçãos.

4. Deus se alegra em fazer o bem aos seus servos. É ele quem abençoa o seu povo! Essas bençãos podem ser tanto espirituais quanto materiais. Nele temos todas as nossas necessidades supridas.

Conclusão: Quando estudamos todo o contexto da passagem de Jeremias 32.40, descobrimos o que Deus realmente quis dizer com aquela mensagem e para quem ela foi direcionada. Vimos no artigo, que essa passagem não dá base para a perseverança dos santos calvinista. Isto significa que essa passagem não oferece problema algum para aqueles que entendem à luz da Bíblia, que a possibilidade da apostasia é uma realidade para um salvo. Acredito que esse tipo de entendimento sobre o texto, derrubará muitas falácias que são formuladas e viralizadas como se fossem verdade e também facilitará a compreensão daqueles que não tem um esclarecimento sólido acerca desse tema. Que Deus nos ajude em tudo! Amém!