27 de janeiro de 2017

A cura da sogra de Pedro


Por Everton Edvaldo 

Leitura Bíblica: (Mateus 8.14,15; Marcos 1.29-31; Lucas 4.38,39).

Introdução: Hoje vamos analisar a narrativa da cura da sogra de Pedro. Veremos o contexto em que a passagem está inserida, como estava a sogra de Pedro, o que Jesus fez por ela e qual foi sua reação após ser curada por Jesus. Ao longo do sermão, refletiremos sobre cada ponto abordado e extrairemos lições preciosas sobre o nosso Jesus.

I- CHEGANDO NA CASA:

Logo pela manhã de um sábado, Jesus entra em Cafarnaum, cidade importante da Galileia. (MC 1.21). Após passar toda a manhã ensinando com autoridade na sinagoga e ter expulso um espírito imundo de um homem, Jesus vai para a casa de Pedro e André acompanhado por Tiago e João (Mc 1.29). É provável que Jesus estivesse exausto fisicamente. Nesse sentido, a casa de Pedro era um ótimo lugar para comer e repor as energias. "Esta casa parece ter sido a casa de Jesus em Cafarnaum." (ROBERTSON, p. 95). 

Chegando na casa, rogaram-lhe pela sogra de Pedro, contando-lhe logo (Mc 1.30, eutheōs isto é, "sem demora", "imediatamente", "tão logo") a situação daquela mulher (Mc 1.30; Lc 4.38).

II- IDENTIFICANDO O PROBLEMA:

Nenhum dos três escritores informaram  o nome dessa mulher, apenas  identificaram-na como "sogra de Pedro." 

Mateus, Marcos e Lucas nos apresentam detalhadamente qual era a condição física em que ela se encontrava.

Essa mulher estava:

• acamada/jazendo (Mt 8.14; Mc 1.30), 
• ardendo em febre (ARA- Mt 8.14),
• com febre (Mc 1.30),
• febre muito alta (Lc 4.38),
• enferma (Lc 4.38).

Sobre Lucas 4.38, "E estava enferma com muita febre", Robertson explica: 

"...um passivo imperfeito perifrástico, o tempo analítico acentuando a febre contínua, talvez crônica e certamente grave." (ROBERTSON, p. 95).

Observe que a situação que essa mulher se encontrava não era nada estável. Febre alta era um sinal de que algo fora do normal estava acontecendo em seu corpo. 

Os médicos advertem que a febre é sempre motivo de preocupação, por ser um alerta de que alguma infecção pode estar se iniciando em nosso organismo.

Geralmente, quem tem febre alta pode sentir vários sintomas, entre eles: alucinação, irritabilidade, convulsão, desidratação, calafrios, dores musculares e articulares, sudorese excessiva, fadiga, falta de apetite, sonolência, tosse, falta de ar, diarréia, lesões cutâneas, etc. 

É provável que a sogra de Pedro tenha sentido alguns desses sintomas, ficando dessa forma, acamada e trazendo preocupação aos discípulos. O quadro era esse: asogra de Pedro era a vítima, e a febre alta, a causa de sua enfermidade. 

III- O QUE JESUS FEZ PELA SOGRA DE PEDRO:

Diante da gravidade de problema, Jesus não hesita em ter misericórdia daquela mulher. Era sábado, ele havia ensinado a manhã toda na sinagoga, estava fadigado, mas isso não constituiu um obstáculo para atender quem estava precisando de socorro. Não existe circunstância alguma que o impeça de socorrer o aflito. Não há horário, dia, não importa quantas pessoas estejam no momento, se são quatro ou cinco, ou até mesmo se é apenas uma febre alta. Se existem problemas, devemos contá-los a Jesus. 

Foi assim que os discípulos encaram a situação: existe algo que não está bem nesse ambiente, mas Jesus está na casa. 

De posse dessas informações, e de três relatos sobre esse episódio, podemos identificar cinco coisas que Jesus fez pela sogra de Pedro. Tentarei harmonizar os detalhes de forma cronológica.

A primeira coisa que Jesus faz é ver aquela mulher (Mt 8.14).

Não sabemos por quanto tempo ele olhou para a sogra de Pedro. Talvez esses segundos tenham sido inquietantes para os discípulos. O que será que ele vai fazer? Será que vai curá-la? Era necessário vê-la. O Mestre estava ali como um medico atencioso que observa seu paciente antes de medicá-lo. 

Jesus vê! Nada escapa de seus olhos. Os deuses fabricados pelos homens têm  olhos mas não veem, mas Jesus vê! Seu olhar consegue enxergar o que a medicina, com sua avançada tecnologia, não enxerga.

A segunda coisa que Jesus faz é aproximar-se dela (Mc 1.31).

Ele poderia simplesmente ter dado uma palavra de onde estava e aquela mulher seria curada, porém preferiu chegar-se a ela. 

Muitas vezes não entendemos o trabalhar de Deus porque acreditamos que ele age apenas de uma maneira. Porém, devemos entender que o mestre têm suas estratégias e sabe como usá-las sabiamente em cada ocasião.

Assim como nessa passagem, Jesus tem um propósito em se aproximar daqueles que estão impossibilitados de irem até ele. Biblicamente falando, a presença preveniente de Jesus é a marca do Cristianismo. Ali, os discípulos puderam sentir de perto o significado do nome Emanuel, isto é, "Deus conosco". 

Jesus inclinou-se para ela, a tomou pela mão e repreendeu a febre (Mt 8.15; Mc 1.31; Lc 4.39).

A NVI diz: "Parou ao lado da cama dela." (ROBERTSON, p. 101). Essa "atitude de Jesus é precisamente a de qualquer médico solidário e gentil." (ROBERTSON, p. 96). 

Nesse momento, ele pega a mão dela e repreende a febre.

Há algo curioso nessa passagem. Lucas como médico e detalhista, foi o único que descreveu a repreensão da febre. 

"Jesus mandou que a febre a deixasse, da mesma maneira como falou ao vento e às ondas, onde Lucas usa este mesmo verbo (8.24)." (ROBERTSON, p. 96).

Imediatamente a febre a deixou. 

Agora curada, aquela mulher estava habilitada para se levantar daquela cama. Primeiro porque o problema já havia lhe deixado e segundo, porque Jesus estava tomando-a pela mão. Foi exatamente o que ela fez. 

"Ela se levantou imediatamente, embora uma febre alta e longa normalmente deixe a pessoa muito fraca. A cura foi instantânea e completa. Ela começou a servir imediatamente e assim continuou." (ROBERTSON, p. 96). 

Por fim, ela passar a servir a mesa para Jesus e seus discípulos. 

Conclusão: Nessa passagem aprendemos uma cura simples, porém significante para Jesus. Ele sabia que essa mulher era importante para Pedro e quando ela precisou, ele a socorreu.

Diferente do que muitos imaginam, não é porque estamos servindo a Deus que nós ou pessoas da nossa família estão isentas de enfermidades. Deus permite-as para manifestar a sua glória. A febre representa os problemas diários que nos acomete e nos deixa prostrado, cabisbaixo e cansado. 

Por causa dela, aquela mulher não estava nem conseguindo fazer as atividades básicas de sua casa. A cama era sua fronteira.

A reação de Pedro e dos outros é de contar a Jesus. Conte sua situação a Jesus. É muito comum no meio cristão ver crentes que ao ter um filho enfermo, ao invés de rogar por ele a Jesus, busca primeiro refúgio nos médicos. Ora, é verdade que não podemos desprezar a medicina, porém não devemos nos esquecer de que o médico Jesus não mudou e que ele continua operando. 

Chame por Jesus e ele não tardará em se aproximar. A cama não é o nosso lugar. Deus quer nos ver de pé, agindo, trabalhando. Por isso ele pega em nossa mão, repreende todo obstáculo espiritual e só assim nós temos forças para nos levantar e servir. 

Sim, muitas vezes precisamos que algo nos deixe para que possamos servir. Você acha que se a febre não tivesse deixado a sogra de Pedro, ela teria forças para se levantar e servi-los? De forma alguma! 

Por último, não se esqueça de servir após obter a vitória sobre essa dificuldade. Você é uma peça importante no reino de Deus e não pode desperdiçar o que ele fez por você fazendo outras coisas. Por isso, sirva a Deus com gratidão sabendo que sempre pode contar com ajuda dele.

Que Deus abençoe a todos!

Bibliografia: 

ROBERTSON, A.T. Comentário de Lucas. Rio de Janeiro: CPAD, 2013.

Um comentário:

  1. Muito bom esse estudo ou melhor do texto a respeito da cura da sogra de Pedro.

    ResponderExcluir