17 de janeiro de 2017

Porque saí da Igreja Universal do Reino de Deus?


Por Everton Edvaldo

COMO CONHECI A UNIVERSAL

A Igreja Universal do Reino de Deus é uma das denominações que mais crescem anualmente no Brasil. Boa parte desse crescimento, é resultado de um intenso trabalho nos meios de comunicação através de programações na TV, rádios, jornais, livros, etc.

Eu conheci a Universal através de uma colega da minha mãe. Ela entregou uma rosa vermelha à minha mãe e pediu para que fossêmos ao culto à noite, levando conosco a rosa. Era um culto de libertação. Nós fomos!

Chegando lá, o culto já havia começado e sentei nas últimas cadeiras  da congregação, juntamente com minha mãe.

Fomos bem recepcionados e lembro de alguém ter nos convidado para sentarmos mais à frente. De repente, o pastor "determina" que os demônios manifestassem em algumas pessoas. Então eu ouvi várias pessoas gritando e alguns obreiros colocando a mão na cabeça delas para que o mal fosse expulso. Em meio àquela  gritaria, o pastor veio pelo meio da igreja e colocou a mão na cabeça da minha mãe que caiu imediatamente com os joelhos no chão.

Desde aquele dia, não deixamos de ir para a Universal. Lembro que quando saímos do culto, perguntei à minha mãe se ela lembrava de alguma coisa. Ela respondeu que não lembrava de nada, e não entendia porque estava sentido dores nos joelhos. Foi então que eu contei a ela o acontecido. Isso foi dia 08/05/2012, numa terça-feira.

OS MESES SEGUINTES

No domingo pela manhã, fui  novamente ao culto. A igreja estava cheia. Foi naquele dia que a graça de Deus me alcançou. Entreguei minha vida a Deus e passei a servi-lo em verdade e em sinceridade até os dias de hoje.

Levou pouco tempo para enxergar que aquela denominação não era uma igreja que levava a Bíblia a sério.

Primeiramente, uma semana após ter me convertido, o pastor me batizou nas águas. Eu não sabia nem o porque estava me batizando até o momento que o pastor falou algumas palavras na hora de imergir meu corpo no tanque.

Na mesma semana eu entrei no grupo jovem. Era um grupo de jovens e adolescentes que saía nas ruas para convidar pessoas e jovens para vir aos cultos, entregar jornais, convites, entre outras coisas. Nessa período, Deus suscitou em mim o desejo de  começar a ler a Bíblia de Gênesis à Apocalipse.

Como não havia Escola Dominical, Culto de Doutrina/Ensino e discipulado, eu percebi que aquela igreja não valorizava tanto o ensino Bíblico.

Lembro-me de uma vez, o líder do grupo jovem, pedir para os jovens abrirem à Bíblia no livro de "Echôdu".

Durante os quatro meses que passei lá, só me recordo do pastor ter pregado no Novo Testamento duas vezes. As demais pregações se concentravam no Antigo Testamento. Boa parte delas falando sobre ofertas, sacrifício, bênçãos materiais, etc.

O tempo foi passando e aconteceu outro episódio que me afetou bastante. Numa das reuniões, o pastor-auxiliar (que na época tinha 18 anos), pediu para que fosse trazido roupas e fotografias de pessoas da nossa família, que desejássemos a libertação. Por inocência, minha teve a ideia de desenhar  os nossos familiares no papel que eles tinham distribuído. Ao ver aquilo, o pastor-auxiliar zombou da minha mãe na frente de todos que estavam presentes no culto, dizendo que aquilo não servia e que queria fotografias.

Minha mãe se sentiu constrangida com esse acontecimento. Lembro dela dizendo: "Eu fiz de coração". Aquilo me comoveu.

Esse mesmo pastor, uma vez, disse na frente dos jovens que eu não servia para ser obreiro, porque sou magro e o demônio me derrubaria com muita facilidade. Comecei a rir, junto com os outros jovens, para disfarçar o ocorrido.

As minhas impressões começaram a piorar quando achava um absurdo as constantes campanhas com o propósito de arrecadar enormes quantias de dinheiro. Haviam pessoas que até entregavam suas alianças a fim de se apropriarem das promessas de prosperidade.

Outra coisa que me chocava, era o uso de objetos como se fossem amuletos para proteção, cobertura e libertação. Rosa ungida, algodão ungido, água ungida, camisa ungida, sabonete de aroeira para tomar banho à meia-noite,  pulseiras para proteção, colares, etc.

A SAÍDA

Ao fim de quatro meses, não aguentava mais aquilo. Foi quando tive a ideia de sair da universal e procurar uma igreja séria para congregar com minha mãe. Conversei com ela durante uma semana sobre isso.

Então fomos conversar com o pastor, no púlpito, anunciando a mudança de denominação. O pastor confessou que não entendia o porque estávamos saindo da igreja para a Assembleia:

"Aqui a gente determina e Deus faz, lá vocês tem que esperar a bênção chegar."

O pastor também disse que as enfermidades que estavam em mim e na minha mãe, voltariam. Foi o cúmulo do absurdo! Como não tinha tanto conhecimento Bíblico,  não lhe dei respostas e voltei para casa com minha mãe. Na outra semana ingressamos na igreja Assembleia de Deus, onde estamos há mais de quatro anos.

4 comentários:

  1. Arieli Sousa1/17/2017 11:11 PM

    Passei exatamente o que você passou !

    ResponderExcluir
  2. https://www.facebook.com/alfredo.paulofilho/?fref=ts

    ResponderExcluir
  3. Vc saiu da universal e foi pra assembleia?????? Mas tem que tomar no cu mesmo, uma vez trouxa sempre trouxa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha o exemplo que você está dando irmão. Muitas pessoas que conheci, inclusive da minha familia eram da Universal e foram pra Assembléia porque não aguentavam mais ver tanta heresia. Abandonar a Biblia que é instrumento pra se aproximar de Deus pra obter bens materiais é o pior erro que um ser humano crente pode fazer. Se eu fosso você começaria urgentemente a ler a Biblia, em especial o novo testamento. a gente não vive mais pela lei, a gente vive pela graça e uma igreja que prega so o velho testamento pra obter lucro terá uma queda enorme pelas mãos de Deus.

      Excluir