8 de julho de 2017

A Excelência de Davi no campo





Por Everton Edvaldo 

Introdução: Eu costumo ficar impressionado com a precisão e grandeza da Bíblia Sagrada em todos os aspectos. Ela fala a respeito das virtudes e falhas de personagens que cita. Ela também ensina que nas virtudes,  toda graça, mérito e louvor deve ser atribuído a Deus e toda maldade, pecado e erro ao homem. É assim que a Palavra de Deus fornece o pano de fundo de vários personagens bíblicos. Entre eles, há um que é exaustivamente conhecido por nós: rei Davi. A vida desse homem já foi retratada em filmes, livros e documentários e hoje é um dos personagens mais abordados pelas pregações nas igrejas. Confesso: falar sobre Davi não é fácil! É um tremendo desafio. Primeiro, devido à grande quantidade de material, informações e episódios que a Bíblia fornece sobre ele. Segundo, Davi é um personagem marcante. Há várias passagens com eventos importantes e cruciais da Bíblia, onde Davi está presente como principal protagonista dela. Segundo Charles R. Swindoll, na Bíblia, se escreveu mais a respeito de Davi do que sobre qualquer outro personagem bíblico. Ele endossa:

"Você ficaria surpreso se soubesse que se escreveu mais a respeito de Davi do que sobre qualquer outro personagem bíblico? Cerca de 14 capítulos foram dedicados à vida de Abraão e também de José; Jacó, 11 e Elias, dez. Você imagina, porém, quantos foram dedicados a Davi? Sessenta e seis, se meus cálculos estão corretos, e isto não inclui cerca de 59 referências à sua vida no Novo Testamento." (SWINDOLL p. 20,21).

Devido a isso, é comum se aventurarmos em escolher uma passagem ou período da vida de Davi para comentar algo e extrair lições. É basicamente isso que farei nesse artigo.

Vamos transportar nossa mente à cidade de Belém dos dias de Davi, conhecer seu cotidiano, trabalho e papel desempenhado naqueles dias. Já que as Escrituras fornecem algumas informações sobre essa época da vida de Davi, vamos dissecá-las para extrairmos algumas lições extraordinárias que Deus ensinou a Davi e sem dúvida, fará o mesmo conosco. Boa leitura!

I- INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE DAVI:

Não é possível nós reconstruirmos exatamente tudo quanto aconteceu na infância e adolescência de Davi, porém temos algumas pistas. O nome "Davi" assume o significado de amado. Este era o nome de um dos filhos de Jessé, o belemita. Bisneto de Rute, a Bíblia relata que Davi era o mais moço entre os seus irmãos (1 Sm 16.11). Morava em Belém da tribo de Judá e sua família pertencia a essa tribo.

1. Sua aparência. Sobre sua aparência a Bíblia diz: "Ele era ruivo, de belos olhos e boa aparência." (1 Samuel 16.12). Formoso de semblante e bonitos aos olhos.

2. Sua família. A Bíblia não fala o nome de sua mãe, porém fala dos seus irmãos, irmãs e pai. Segundo 1 Crônicas 2.13-16, seus irmãos eram:

• Eliabe (ou Eliú 1 Cro 27.18), 

• Abinadabe,

• Samá (ou Simea, 2 Sm 13.3 ou Simei, 2, Sm 21.21),

• Natanael,

• Radai,

• Ozém.

Seu pai era Jessé e suas irmãs se chamavam: Zeruia e Abigail.

Existe uma discussão entre os estudiosos, sobre se Davi era o oitavo ou o sétimo filho de Jessé, mas isso é assunto para outro artigo. (Obs: 1 Samuel 16.10 dá a entender que Davi era o oitavo filho e 1 Samuel 17.12 diz que ele teve oito filhos, já 1 Crônicas 2.15, classifica Davi como o sétimo). O que é certo é que ele era o mais moço entre seus irmãos (1 Samuel 16.11; 17.14).

3. Sua criação. Ao que parece, Davi é mais um entre aqueles vários personagens da Bíblia que foram criados no conhecimento do SENHOR. Obviamente, Jessé criou Davi debaixo da mesma orientação com qual criou seus outros filhos.

4. O relacionamento entre a família. Como chefe de família, Jessé era o principal provedor do seu lar. Entretanto, isso não impedia que seus filhos o ajudassem nas atividades dentro e fora de casa. No caso dos outros filhos de Jessé, a Bíblia não relata qual papel eles desempenhavam na Família antes de Davi ser ungido como rei em 1 Samuel 16.

Ainda sobre Jessé, ela diz que ele era "velho e adiantado em anos entre os homens" (1 Samuel 17.12), provavelmente um daqueles anciãos citados em 1 Samuel 16.4.

Acontece que Jessé entrega a seu filho mais novo, a incumbência de cuidar das ovelhas da família. (Obs: era comum as famílias mais pobres usarem os filhos menores para cuidarem das ovelhas). Então Davi não hesita em obedecer e vai!

Foi assim que houve uma das primeiras transições importantes na vida de Davi: Da casa para o campo.

Será que ele já tinha visto seus pais, irmãos ou outras pessoas cuidando de ovelhas? Não temos a resposta para essa pergunta na Bíblia, mas é provável que isso tenha acontecido. De uma coisa é certa: no campo não haveria "papai nem mamãe", seria só Davi e as ovelhas.

Agora, Davi passaria a maioria do seu tempo com as ovelhas, longe de casa, pois iria exercer as atividades de um pastor.

II- A ATIVIDADE DELE COMO PASTOR DE OVELHAS:

O que fazia Davi no campo? Qual era seu papel? O que aprendeu no período em que esteve por lá?

Nessa época, Davi viveu um dos períodos mais incríveis da sua vida apascentando as ovelhas. Sobre "apascentar as ovelhas", o comentário Beacon diz que era "uma tarefa servil designada ao filho menos importante ou aos empregados do dono da casa." (Comentário Bíblico Beacon. Vol. 2: Josué a Ester. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 208).

Entretanto, estar no campo com as ovelhas, serviu como "escola de Deus" para Davi. Não sabemos quanto tempo passou cuidando das ovelhas, mas o período em que viveu essa experiência lhe trouxe vários frutos. Ali, seu caráter seria forjado e preparado para o que lhe seria entregue mais tarde. Davi estava  obedecendo seu pai, cuidando de algo que lhe foi confiado. Essa era sua missão!

Com isso concluímos que Davi era um moço obediente aos seus pais, sempre disponível para cuidar das coisas de casa e ajudar no que for preciso. Talvez alguém até imaginasse que Davi estaria fazendo algo insignificante e normal para seus pais, porém Deus estava contemplando tudo.

Aqui se confirma o entendimento de que Deus usa as coisas pequenas e insignificantes para manifestar Sua glória aos seus. Deus estava lá o tempo todo! Veremos isso já já!

Mas antes, permita-me responder algumas perguntas:

1. Como era o rebanho de Davi? Conforme lemos em 1 Samuel 17.28; o rebanho de Davi era composto por poucas ovelhas. Não havia uma quantidade grande de ovelhas para cuidar, mas elas certamente eram significantes para a renda e o sustento da família.

2. Qual a utilidade das ovelhas para a família de Davi?

Das ovelhas poderiam ser aproveitados:

• A carne. "A carne das ovelhas, diferente do caso dos bodes, é boa tanto nos animais pequenos como nos já desenvolvidos. (...) as ovelhas são ruminantes dotadas de patas bipartidas, pelo que provêm uma carne limpa e saudável, que fazia parte importante da dieta dos hebreus..." (CHAMPLIM, p. 648, 649).

• A lã. Utilizada, às vezes, para fazer roupas.

• Os Chifres. Usado como recipiente para armazenar óleo. Também era usado para fazer trombetas ou buzinas.

• Forneciam leite. Com o leite podia-se fazer queijo.

Além disso, podia-se usar as ovelhas para estrumar os campos de pastagem.

3. Qual o ambiente onde ele cuidava das ovelhas? A Bíblia cita pelo menos um dos lugares como ambiente de trabalho de Davi, isto é, o deserto (1 Samuel 17.28). Contudo, subtendemos que o campo também era um dos lugares que Davi levava suas ovelhas.

4. Qual a tarefa de Davi? Pastorear as ovelhas!  Davi estava exercendo uma das profissões mais antigas do mundo (Gn 4.2).

Está enganado quem pensa que Davi passava as tardes apenas sentado, olhando para as ovelhas no campo.

Era papel do pastor suprir todas as necessidades das ovelhas. Era Davi o responsável por procurar pastos verdejantes para alimentá-las, águas tranquilas e refrigeradoras, guiá-las,  protegê-las dos perigos e do mal.

Segundo Ralph Gower:

"As ovelhas precisavam de constante proteção porque nos tempos bíblicos, havia muitos perigos para o rebanho, da parte de animais selvagens saídos das florestas que ladeavam o desfiladeiro do rio Jordão. Leões e ursos eram comuns (Jz 14.8; 2 Rs 2.25), e as aventuras de Davi para proteger os seus rebanhos também eram comuns (1 Sm 17.34-36). Amós descreve um pastor que tentou tirar uma ovelha da boca de um leão (Am 3.12). Hienas e chacais também abundavam. Não foi acidentalmente que Jesus afirmou que o bom pastor tinha de dar a vida pelas ovelhas (Jo 10.11). O pastor tinha de lutar, porque era seu dever aos proprietários por quaisquer perdas incorridas (Gn 32.39; Êx 22.10-13)." (GOWER, p. 135).

Davi mostrava-se um moço  responsável, eficiente e corajoso. Seu pai lhe havia confiado aquelas poucas ovelhas e ele não podia decepcioná-lo. Elas eram propriedades de Jessé e além de serem importantes, eram queridas pela família.

Também era tarefa do pastor nomear as ovelhas, dá-lhes um nome. Isso facilitava a relação do pastor com elas. No tempo requerido, Davi prestava conta de todas elas. Para isso, ele devia conhecê-las bastante.

Durante a noite, o pastor  recolhia o rebanho e ficava lhe vigiando. Assim era o dia a dia de Davi.

III- FERRAMENTAS QUE O ACOMPANHAVAM NO COTIDIANO:

Agora vamos estudar alguns aspectos específicos que Davi desenvolveu nesse período e os materiais que faziam parte do seu dia a dia.

1. A música. Nos tempos bíblicos, era comum fazer parte dos bens do pastor uma flauta feita de dois pedaços ocos de bambu. O pastor as usava para tocar músicas alegres e também tristes quando preciso.

No caso de Davi, inferimos a partir de 1 Samuel 16.16,17,23 que ele sabia tocar harpa. Davi sabia tocar bem. Era um instrumento que ele dominava, conhecia. A ponto de quando ele dedilhava a harpa, o rei Saul que estava atormentado, sentia alívio, se achava melhor e o espírito maligno se retirava dele.

Desde muito cedo, Davi era apaixonado pela música, característica esta que deixou um grande legado para nós. Isto porque Davi é responsável por ter escrito quase metade do livro dos Salmos (Davi compôs 73 Salmos).

Acredito que grande parte deles foram feitos nesse período em que ele cuidava das ovelhas do seu pai. Nos Salmos de Davi, é notável o uso da linguagem rupestre, de campo, paisagens, etc. Davi utilizou muito do que viu e viveu nos campos para escrever seus louvores a Deus. O maior exemplo disso é o glorioso Salmo 23. O Salmo 23 é um dos louvores mais conhecidos e belos de Davi; descreve justamente a visão que ele tinha acerca da atividade de um pastor. Leiam!

Sobre isso, R.N. Champlin comenta:

"É possível que ao cuidar dos rebanhos ele tenha desenvolvido suas habilidades poéticas; e a vida nos campos também lhe deu muitas metáforas, que ele incluiu em seus salmos, principalmente no imortal Salmo 23." (CHAMPLIN, p. 19).

2. A funda. "O pastor usava como armas um bastão pesado e uma funda. O bastão é referido no Salmo 23.4 como 'cajado', mas era uma arma pesada, e pedras de pederneira (mais tarde pregos) eram muitas vezes incrustadas na extremidade 'funcional' para torná-la mais eficaz. A funda era composta de uma tira larga de couro que podia segurar com firmeza uma pedra de cerca de 40 mm de diâmetro. A tira era presa a duas cordinhas feitas de tendões, corda ou coro de cerca de 60 cm de comprimento. A pedra era colocada na bolsinha e a funda girada, de modo que a pedra não se desprenda por causa da força centrífuga. Quando um dos cordões era afrouxado, a pedra saltava com força tremenda. Nas mãos de um pastor que tivesse tempo para praticar, a funda podia ser usada com grande precisão. Uma pedra bem colocada, caindo à frente da ovelha desgarrada do rebanho, a fazia voltar." (GOWER, p. 136).

Davi tinha sua própria funda (1 Samuel 17.40). Ela é usada na sua batalha contra Golias. O texto Bíblico relata que Davi toma seu cajado na mão, escolhe cinco pedras lisas no ribeiro, as põe no alforge de pastor, e lançando mão da funda, foi-se chegando ao filisteu Golias.

A Bíblia dá a entender que Davi era habilidoso com sua funda. Provavelmente, quando foi lutar com Golias, já o tinha usado para outras ocasiões no campo, seja com as ovelhas, ou com inimigos.

Sobre o episódio de Davi x Golias, R.N. Champlin comenta:

"Davi sabia que uma pedra lançada por meio de sua funda podia mandar um animal. Porque não um homem? Em seus dias como pastor, Davi tornara-se muito hábil no uso da funda. Sua habilidade foi-lhe muito útil." (CHAMPLIN, p. 19).

3. O cajado. "O cajado também fazia parte do equipamento do pastor, mas não era uma arma, embora fosse usada como tal ocasionalmente. O cajado tinha cerca de dois metros de comprimento e algumas vezes uma curva na extremidade. Era geralmente usado para ajudar o pastor a andar com maior facilidade nos lugares montanhosos ou difíceis, assim como para guiar as ovelhas. Quando essas passavam por uma entrada apertada, como por exemplo ao entrarem no redil à noite, eram contadas debaixo da vara ou cajado." (GOWER, p. 138).

O cajado era uma ferramenta indispensável na vida de um pastor. Davi reconhecia a importância de seu cajado a ponto de levá-lo para a batalha que teve com Golias (1 Sm 17.40). Um pastor sem um cajado é um pastor incompleto.

4. O alforge. "O pastor levava uma segunda bolsa de couro, consideravelmente maior do que a usada para a funda, conhecida como alforge. Ela servia para guardar alimento enquanto ele ficava longe da civilização. Davi já devia ter comido seus mantimentos quando encheu o alforge (surrão) de seixos, um dos quais foi usado para matar Golias (1 Sm 17.40)." (GOWER, p. 139).

Como foi abordado acima, a Bíblia relata uma das ocasiões em que Davi usa seu alforge para enchê-lo de cinco pedras que pegou no ribeiro. No dia a dia, Davi usava seu alforge para armazenar alimento enquanto estava cuidando das ovelhas de seu pai.

IV- CARACTERÍSTICAS QUE ELE DESENVOLVEU COMO PASTOR:

1. Davi era um pastor submisso ao dono das ovelhas.

Não bastava ser fiel às ovelhas, acima de tudo, Davi era fiel primeiramente a seu pai. A Bíblia deixa claro que Davi estava sempre à disposição das ordens do seu pai.

Em 1 Sm 16.11,12; Davi estava apascentando as ovelhas, Jessé mandou chamá-lo e ele veio.

Em 1 Sm 16.20; Davi estava apascentando as ovelhas, então Jessé (à pedido do rei) toma um jumento e o carrega de pão, um odre de vinho e um cabrito e os envia juntamente com Davi ao rei Saul. Davi obedece e faz tudo conforme seu pai lhe ordenou.

Em 1 Sm 17.17; Jessé pede que Davi levasse para seus irmãos no acampamento, um efa de trigo tostado e dez pães. Davi que estava apascentando as ovelhas, deixou-as com um guarda, e vai. Aqui, o moço demostra ser cuidadoso e preocupado com a bagagem e com seus irmãos (1 Sm 17.20,22).

É importante ressaltar que essa característica de Davi (obediência) se refletia não só dentro de casa como também fora dela (Por exemplo quando Saul manda dizer a Jessé que deixasse Davi com ele em 1 Sm 16.22). Isso fez com que Davi fosse amado por muitos (Saul, 1 Sm 16.21; Jônatas, 1 Sm 18.1-3; todo o Israel e Judá, 1 Sm 18.16; Mical, 1 Sm 18.20; etc).

2. Davi era um pastor presente.

A Bíblia ensina que mesmo depois de ter sido ungido rei, Davi continuou apascentando as ovelhas de seu pai (1 Sm 16.19). E mesmo quando estava com o rei Saul, voltava para as ovelhas (1 Sm 17.15). Não fugia de sua responsabilidade, nem deixava que sua ausência fosse real por muito tempo. Davi gostava de estar presente.

3. Davi era um pastor prudente.

Quando Jessé o enviou para levar comida aos seus irmãos, Davi se levantou de madrugada e deixou as ovelhas com um guarda (1 Sm 17.20). Davi sabia qual era sua missão: cuidar das ovelhas! E nisso, ele não podia fracassar. Portanto, quando precisou se ausentar, não as abandonou, porém proveu alguém que ocupasse seu lugar enquanto ele não estava.

4. Davi era um pastor completo.

Davi possuía características muito nobres para sua idade. Além de todo esse dinamismo que já foi citado acima, Davi tinha qualidades que saltavam para fora si, de maneira que outras pessoas viam essas qualidades nele. Veja por exemplo, quando Saul fala aos seus servos para trazer um homem que saiba tocar harpa, um dos moços diz que conhece um filho de Jessé que sabia tocar, era forte, valente, homem de guerra, sisudo em palavras, de boa aparência; e o SENHOR era com ele (1 Sm 16.18).

• Davi era "forte e valente". São duas características significantes de se ter. Há pessoas que são fortes mas não são valentes. E há pessoas que são valentes sem serem fortes. Davi era a combinação dessas duas coisas. Algo que certamente lhe dava vantagem, ou seja, a segurança de ser destemido na presença de qualquer inimigo.

• "Homem de guerra." Com coragem para enfrentar Golias, Davi conta a Saul que no campo, já havia matado um leão e um urso por tentar roubar um dos cordeirinhos do rebanho (1 Sm 17.34-37). Era um moço, mas um moço com experiências de lutas! Lembre-se que Davi era um bom pastor e o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Davi arriscava sua própria vida para defender aquilo que era do pai.

• "Sisudo em palavras." O termo hebraico que foi traduzido por sisudo é bin e aqui assume o significado de eloquente, informado, instruído, inteligente, observador, etc. Inteligente com as palavras, Davi sabia a hora exata de falar e de ouvir. Sabia tratar os outros bem. Conhecia o que fazia e fazia aquilo que sabia fazer e bem feito! A inteligência de Davi era utilizada frequentemente no cuidado com as ovelhas. Como pastor, devia estar atento aos lugares que levaria as ovelhas para pastar, o horário de alimentá-las, criar estratégias para usá-las quando aparecesse um inimigo, etc.

• "Boa aparência". De gentil presença, Davi cuidava também de si. Sabia se vestir e se comportar da maneira correta em diversas ocasiões.

 "O SENHOR é com ele." A mais excelente das qualidades: a presença de Deus. Deus já vinha investindo em Davi à muito tempo. Em 1 Sm 16.13, o Espírito do SENHOR, se apossa dele.

Que coisa gloriosa! Davi só lograva bom êxito em todos os seus empreendimentos porque o SENHOR era com ele (1 Sm 18.14).

O próprio Davi reconhecia que suas conquistas e qualidade não vinham de si próprio. Ele revela a Saul: "O SENHOR me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrará das mãos deste filisteu." (1 Sm 17.37).

Perceba que a ousadia de Davi era resultado da sua confiança em Deus. Nisso vemos que aquele que confia em Deus recebe forças, ânimo e coragem para enfrentar qualquer que sejam as adversidades da vida.

Conclusão: Ninguém imaginava que um moço criador de ovelhas, um dia se tornaria rei de Israel. Nem mesmo seus pais. Geralmente é assim, Davi é um daqueles personagens da Bíblia que foram forjados na solidão. Deus se utilizou da solidão que o colocou seu pai, para lhe ensinar grandes lições. Davi aprendeu muito com o campo! Ali mesmo, ele aprendeu a reinar. Primeiro reinar dentro do território que lhe foi confiado. Reinar sobre a solidão, sobre os inimigos. Reinar sobre os fortes ventos de outono, sobre as chuvas frias do inverno e sobre o sol quente do verão. Ali, para os homens ele foi por muito tempo desconhecido, invisível e não aplaudido. Entretanto, aos olhos de Deus uma ferramenta que estava sendo polida para o futuro. Para Davi era só mais um dia de trabalho: prover alimento para as ovelhas, remediar as doentes, procurar as perdidas, protegê-las do perigo. Para Deus, uma "teo-escola", isto é, a escola de Deus. Até que um dia, Deus o tirasse do cuidado das ovelhas para cuidar de uma nação. É Deus quem faz isso!

 Nos Salmos, Asafe canta:

"...escolheu Davi, seu servo, e o tomou dos redis das ovelhas; tirou-o do cuidado das ovelhas e suas crias, para ser pastor de Jacó, seu povo, e de Israel, sua herança. Ele os apascentou consoante a integridade do seu coração e os dirigiu com mãos precavidas." (Salmos 78.70-72).

E é dessa forma que um dos homens mais notáveis da Bíblia começou sua trajetória de experiências com Deus. Um homem segundo o coração de Deus, escolhido para através de sua descendência, trazer ao mundo o Salvador (Confira a promessa do reino messiânico a Davi no Salmo 89.19-37).

Através desse período da vida de Davi, podemos extrair várias verdades que são atuais para os dias de hoje.

Com Davi, aprendemos que devemos constantemente cultivar a virtude da submissão em qualquer lugar. Para nós, este moço foi e é um ótimo exemplo de como viver dignamente num ambiente longe de casa. Talvez os lugares que estamos percorrendo, não sejam os lugares que desejamos ou sonhamos, mas certamente são lugares pelos quais Deus quer nos levar como o objetivo de nos preparar,  nos ensinar algo e nos abençoar.

Sendo assim, aqui vão alguns conselhos:

Assim como Davi, aprenda a desfrutar de cada experiência que Deus lhe permite passar. Dê o seu melhor em tudo, domine, supere as adversidades e seja diferente. Não se contente em ser mais um. Use os recursos que estão ao teu redor para trafegar por qualquer caminho que estiver na sua frente. Conheça-os. Torne-se alguém habilidoso, dinâmico!

As contemplações de Deus por trás de toda a história, também nos ensina bastante. Assim como esteve com Davi, Deus está conosco. Ele é a fonte das nossas boas e agradáveis realizações. Está agindo o tempo todo ao Seu favor e conforme Lhe apraz.

Por fim, descanse em Deus. Não pense que está no lugar errado ou servindo ao Deus errado. Nada disso está errado! Apenas seja fiel a Deus e O verás agindo na tua vida para que lá na frente, você tenha muitas experiências para transmitir e através de você, Deus ser glorificado por outras pessoas.

Que Deus abençoe a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário